domingo, 15 de março de 2009

Porque Sexta Feira 13 (2009) é um porre


Sei que falei que iria comentar apenas coisas diferenciadas no blog, mas não consegui resistir a falar dessa recente “maravilha da sétima arte”... Então se segurem, passageiros do Trem Fantasma, pois essa volta vai ser meio descontrolada!

(Atenção: o texto está forrado de SPOILERS! Se bem que, num filme tão previsível, “spoiler” é quase uma redundância).

Foi com leve expectativa que fui assistir ao remake/reimaginação do novo Sexta Feira 13. Digo que minha expectativa era leve porque eu realmente acreditei (sim, sou ingênuo) que veria um bom filme; sim, eu sabia que o cineasta Marcus Nispel era responsável pelo medíocre remake de O Massacre da Serra Elétrica (também com produção do gentil Michael Bay), mas meu raciocínio era o seguinte: não é difícil fazer um bom filme do Jason! Jason é uma figura icônica, conhecida por matar adolescentes estereotipados com uma criatividade ímpar, além de ser invencível até mesmo a desmembramentos, derretimento por ácido sulfúrico, tiro de bazuca, etc. Ah, e não podia faltar a musiqueta “ki ki ki ki ma ma ma ma" (que alguns juram que é “kill kill kill kill mon mon mon mon”) durante as cenas mais tensas. Pronto. Simples assim, e é preciso ser mais anta que o próprio Jason para estragar um conceito desses.

Isso é pra me ensinar a não subestimar a incompetência humana.

O maior problema do novo filme é que ele é genérico; Jason, que costumava ser um verdadeiro Michelangelo dos assassinatos, foi reduzido a um mero pixador fazendo estágio para grafiteiro; as cenas de morte são simplórias e desinteressantes. Você acha digno do grandalhão entrar num galpão forrado de ferramentas (incluindo pés de cabra, martelos, pregos, uma serra circular que é mostrada diversas vezes em primeiro plano), para pegar uma chave de fenda (ou algo assim) e simplesmente enfiar no pescoço de um infeliz? Putz, é pra acabar... O novo filme não entrega aquilo que os fãs de slasher desejam ver, constituindo uma propaganda enganosa digna do Procon!

O pior de tudo é que as mortes são limpinhas, asseadas, assépticas; seguem o padrão de nove entre dez filmes de Hoollywood hoje em dia: “Podemos assustar, mas não muito! Não queremos que as pessoas fiquem com medo de assistir nosso filme.” Hmmm, que coisa engraçada, eu achava que o objetivo dos filmes de terror era JUSTAMENTE CAUSAR MEDO! Ou, no caso dos slashers, ASSUSTAR, CAUSAR REPULSA, NOJO E AGONIA! Mas não, meus conceitos devem estar completamente ultrapassados. Desculpa aí, nova geração do terror!!!

EU SEI QUE JÁ CHEGAMOS AO FINAL DO PASSEIO, MAS VOU DAR OUTRA VOLTA! AINDA NÃO FALEI TUDO QUE TINHA PRA FALAR!!!

Mas enfim, pra colocar a cereja no bolo, temos o maior problema do filme inteiro: o próprio Jason. Em uma tentativa execrável de “humanizar” o personagem, ele perdeu aquela aura sobre-humana e desesperadora, quando caminhava lentamente atrás de vítimas maratonistas, apenas para alcançá-las momentos depois. Agora ele corre, leva porrada de um magrelo, é sugado para dentro de uma máquina trituradora e fazem questão de mostrar que a cabeça dele não passou pelas máquinas, justificando assim a continuidade da série. Que M...! O Jason dos velhos voltaria no filme seguinte com apenas algumas marcas de cortes na cabeça e pronto, já seria explicação suficiente!

No final das contas, temos um filme de horror genérico com um protagonista genérico, que coincidentemente usa uma máscara de hóquei. É simplesmente impossível aceitar que estamos vendo o bom e velho Jason. Até os poucos acertos (a criativa eliminação de todo o elenco do segundo ato, a escolha de um protagonista masculino para variar, uma ou outra cena homenageando os filmes passados) são eclipsados pelos defeitos absurdos.

Enfim, é um Sexta Feira 13 "fofolete" para crianças e adolescentes sensíveis, que consegue ser pior que os piores filmes da série passada (que diabos, consegue ser pior que Jason X). Simplesmente não compensa. Sei que você, fã do horror, vai ver do mesmo jeito, e eu o aconselho a fazer isso mesmo! Nunca dê bola para opiniões alheias, se está com vontade, vá ver e pronto, é possível que você discorde totalmente do que as outras pessoas acharam. Mas também aconselho a ir com expectativas beeem baixas, e deixo aqui um alerta, algo verdadeiro que não constitui opinião subjetiva, mas sim um fato: não dê atenção àqueles que disseram que as mortes são criativas! Elas não são criativas! Só tem uma digna de nota, e nem é tudo isso! Se o seu único interesse era se divertir com as mil e uma maneiras que o Jason inventava para mandar suas vítimas para a luz, esse não é o filme para você! Ah, e se você viu e gostou, respeito sua opinião. Cada um é cada um.

Ufa... é isso. Desculpem o teor raivoso do post; ainda estou no calor da revolta, pois acabei de ver o filme. Opa, estamos de novo na reta final. Agora estou mais calmo, vou parar... O quê? O pequeno Billy foi jogado pra fora na curva do pântano? Bem, os crocodilos estavam mesmo precisando de companhia.

É isso aí, desejo a todos uma boa semana!

4 comentários:

  1. Hahahahahaha!
    Só podia ser vc, querido, reclamando das mortes "limpinhas"!!! Eu, que ando numa fase muito oriental, estou com um DVD de filme japonês chamado Vampiro GigolÔ. Pode??? Depois comento a tosqueira.
    Beigiusmil, e volte logo pra sua jaula no HorroroZôo, que a diretoria está de volta, hein?

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Aleluia, finalmente um comentário no Trem Fantasma! E um comentário da escritora e rainha do horror Giulia Moon! Demorou pra começar, mas começou com chave de ouro, rsrs. Ainda bem, pois já estava quase mudando o nome de "Trem Fantasma" pra "Cidade Fantasma".

    Pois é, sobre as mortes limpinhas... Eu tenho a mania de esperar que os filmes entreguem aquilo que eles prometem. Usando um clichê aqui, não vou assistir um filme desses esperando uma super-trama, ou interpretações shakespeareanas, etc. Vou esperando diversão, e as mortes criativas e sangrentas de Sexta Feira 13 eram parte da diversão! Pra que fazer um filme do "Jasão" então, se é pra tirar o melhor? É o mesmo que fazer um filme com o Superman onde ele não tem super poderes!

    HAUAHAU, Vampiro Gigolô deve ser incrível! Depois comenta sim!

    Abraços, Giulia Lua, volte sempre!

    ResponderExcluir
  4. Qdo me disseram que o Jason corria, eu pensei: "Sacrilégio!!!!". E completaram: "Sabe a musiquinha (esta mesmo que vc citou, Mário)? Não tem mais!" No way! Disse em voz alta! Tomei coragem e aluguei. Que m...! (Estou usando um eufemismo)E, ainda, vai acontecer uma continuação? Ao que td indica, sim, infelizmente. Mário, o filme é tudo isso que vc resenhou e mto mais. É uma bomba! Como disse o Henry: Aquele não é o Jason. Este morreu, mesmo, no SF3!

    ResponderExcluir